sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

A MISSÃO DOS PAIS, SEGUNDO O ESPIRITISMO

Publicado por Radio Boa Nova

Texto de: Rita Foelker
Em diversos lugares de “O Livro dos Espíritos” e do “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Allan Kardec e os Espíritos da Codificação falam da responsabilidade dos pais pela educação dos filhos.
Na questão 208 de “O Livro dos Espíritos”, está escrito que: o Espírito dos pais tem a missão de desenvolver o dos filhos pela educação; isso é para ele uma tarefa. Se nela falhar, será culpado.
Na questão 582, lemos igualmente que este dever implica, mais do que o homem pensa, sua responsabilidade para o futuro. 

Em todos os momentos em que este assunto é trazido à baila, ressalta a seriedade do compromisso espiritual assumido pelos pais e mães, de possibilitar a um Espírito a chance de encarnar naquele núcleo familiar.

O segundo trecho citado, fala numa responsabilidade maior do que o homem pensa. O que pensamos hoje em dia a esse respeito? Isto merece uma reflexão à luz do Espiritismo. Seriam os filhos resultado de um descuido com os métodos contraceptivos? Não, pois os filhos não são frutos do acaso, apesar de surgirem em nossas vidas aparentemente fora de hora.
O acaso não existe, o que existe é o cumprimento de uma lei de amor e justiça. No momento propício, as almas se reúnem sob laços de família para colaborarem uns com os outros na superação de problemas e na conquista da harmonia e da felicidade. Seriam os filhos meios de prender o parceiro num relacionamento? Não, pois os Espíritos cumprem uma trajetória de evolução individual, para melhorar intelectual e moralmente. Buscam, na encarnação, os meios de realizar seu progresso, necessitando para isso do cuidado e da orientação dos pais. Suas vidas têm um propósito maior em si mesmas, e não podem nem devem ser usadas para fins egoísticos.
A vida na Terra é um projeto educacional, onde a lei divina dá ao Espírito a oportunidade do renascimento junto a seres que têm condições de ajudá-lo a realizar seu aprimoramento. Recebe ele, para isso, um organismo físico apropriado às experiências que necessita atravessar e um grupo familiar inserido num meio material e social com características que o estimularão a exercitar as capacidades e os sentimentos que veio treinar.
Os pais cumprem o papel de protegê-lo em sua fragilidade dos primeiros anos e de despertar sua consciência para o amor ao bem e à verdade: isto é o que brota claramente dos livros da Codificação.
Contudo, não estão os pais sozinhos diante de um desafio tão complexo. Contam na Terra com a família, com os professores, com especialistas de muitas áreas, com ótimas publicações (livros, revistas e websites), além da indispensável inspiração dos Amigos Espirituais e dos Anjos Guardiões. A prece e o recolhimento são instrumentos ao seu alcance a qualquer momento. Embora grande seja a sua responsabilidade, muitas são as portas a se bater em busca de auxílio.
Afinal, Deus também é Pai que nos educa e supre nossas reais necessidades. Verificamos hoje os grandes males emocionais e sociais resultantes da negligência de muitos pais e mães para com sua missão. O nosso mundo e os nossos filhos solicitam que eles abracem com amor e determinação a tarefa de educar.urgirem em nossas vidas aparentemente fora de hora.

domingo, 8 de outubro de 2017

ENCONTRO ESPÍRITA PRÓ-VIDA DE PERNAMBUCO


Participe do Primeiro Encontro Espírita Pró-Vida de Pernambuco!

VAGAS LIMITADAS                                                                                                                                                                                                                                       
Façam sua inscrição, GRATUITA, para o Encontro Espírita Pró-vida de Pernambuco.

Acesse o link para inscrição:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe31WpmQaSgzI2qNE1Itgj57WxMlAYz9-rt5ZiJ_JaerTnq-Q/viewform?c=0&w=1

segunda-feira, 26 de junho de 2017

EUA DIZ ÀS NAÇÕES UNIDAS: ABORTO NÃO É “PLANEJAMENTO FAMILIAR”



A nova delegação dos EUA às Nações Unidas rejeitou uma resolução sobre a “violência contra as mulheres” pois requeria que o aborto continuasse em países onde já é permitido.

Diferente dos EUA, o Canadá apresentou a resolução, que foi aceita por consenso. O governo canadense fez da “eliminação da violência contra as mulheres” uma prioridade de política externa.

Nós não reconhecemos o aborto como um método de planejamento familiar, nem apoiamos o aborto em nossa assistência à saúde reprodutiva“, disse o primeiro secretário dos EUA da ONU em Genebra, Jason Mack. Os EUA “devem se dissociar do consenso”, disse ele, conforme relatado pela Reuters.


O sexo do bebê é um fator decisivo para o assassinato sistemático de meninas no útero. Há mais de 37 milhões de meninas desaparecidas na China apenas por serem do sexo feminino. É também um problema na Índia e em outros países. Em 2012, uma investigação da Live Action revelou que as instalações de aborto na América estão dispostas a participar de abortos “seletivos”, isso significa que a mãe pode optar por abortar caso não esteja satisfeita com o sexo do bebê.

Em abril, o governo Trump retirou o financiamento do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUP) cujo o destino era a cooperação com o regime de aborto forçado da China. O presidente Trump também reintegrou a política da Cidade do México que impedia os impostos americanos de financiar o aborto e a promoção do aborto no exterior.

Trump escolheu o ex-governador da Carolina do Sul, pró-vida Nikki Haley, para servir como embaixador dos EUA na ONU.

Matéria extraída do endereço eletrônico: 
http://www.conservadorismodobrasil.com.br/2017/06/eua-diz-as-nacoes-unidas-aborto-nao-e-planejamento-familiar.html

quarta-feira, 14 de junho de 2017

GRAVIDEZ DE ADOLESCENTE DECRESCE AO CORTE DE FUNDOS PARA EDUCAÇÃO SEXUAL – REVELA ESTUDO



LONDRES, 08 Jun. 17 / 08:00 am (ACI).- Um novo estudo revelou que o índice de gravidez de adolescentes no Reino Unido diminuiu ao seu nível mais baixo desde 1969, depois que o governo cortou o financiamento das políticas de “educação sexual”, entre os quais estão o aborto e a contracepção.

Como indica ‘Catholic Herald’, o resultado do estudo The effect of  spending cuts on teen pregnancy (O efeito do corte dos gastos com a gravidez de adolescentes) se soma a um corpo crescente de pesquisa que expõem as falhas de décadas relacionadas a este tipo de políticas que, na verdade, aumentaram o número de adolescentes grávidas, abortos e mães solteiras.
Na pesquisa, foram analisadas estatísticas de ??149 municípios entre 2009 e 2014 e descobriram que, depois que o governo central e local sofreram cortes de orçamentos nos últimos anos para a “educação sexual” nas escolas e controle de natalidade, as taxas de gravidez de adolescentes caíram em 42,6%, entre 2008 e 2013.
Em 2014, apenas 4.160 adolescentes menores de 16 anos foram registradas como grávidas, um número 10% menor do que no ano anterior.
Por outro lado, os pesquisadores informaram que os números do Instituto de Estatísticas Nacionais mostram que o índice de natalidade entre as adolescentes diminuiu 8,7% no último ano.
“Existem argumentos que sugerem que o impacto (dos cortes) na gravidez de adolescentes pode não ser tão ruim quanto temiam e, de fato, os gastos com projetos relacionados à gravidez de adolescentes pode até ser contraproducente”, concluíram os autores da pesquisa David Patona e Liam Wright no ‘Journal of Health Economics’.
Em poucas palavras, acrescentaram, “o controle de natalidade reduzirá o risco de gravidez em atos sexuais que de qualquer maneira teriam acontecido, mas pode aumentar o risco entre os adolescentes que são induzidos a um acesso mais fácil ao controle de natalidade, tanto para começar a vida sexual, quanto para ter relações sexuais com frequência”.
Em 1999, a Grã-Bretanha teve um dos maiores índices de gravidez de adolescentes na Europa depois de 30 anos de educação sexual baseada em anticoncepcionais.
Então, a resposta do governo foi pagar às autoridades locais dezenas de milhões de libras esterlinas para ensinar mais “educação sexual” e controle de natalidade que facilite as meninas a conseguirem anticoncepcionais e a abortiva pílula do dia seguinte.
Em algumas escolas, foram abertas “clínicas de saúde sexual” e as autoridades locais nomearam profissionais para promover o “sexo seguro”. Além disso, um conselho contratou um “coordenador de preservativos”.
A nova pesquisa de Patona e Wright foi precedida de um estudo em 2009 de Teenage Pregnancy Unit (Unidade de Gravidez de Adolescentes), que também constatou que a política governamental estava falhando.
Entretanto, o último governo se comprometeu a continuar promovendo a “educação sexual”, pois é obrigatória no ensino médio, segundo a Lei da Infância e Trabalho Social de 2017.
A colunista e diretora do think-thank Centre for Policy Studies (Centro de Estudos de Políticos), Jill Kirby disse em um artigo que o aspecto mais marcante desta pesquisa é que “demonstra exatamente o que as pessoas especializadas nesta área vêm dizendo há vários anos”.
“Esta última descoberta, baseado em estudos anteriores, deveria ser um chamado de atenção a todos aqueles que não protegem os nossos jovens apegados a ideias ultrapassadas e prejudiciais”, concluiu.

Matéria extraída em: http://www.acidigital.com/noticias/gravidez-de-adolescente-decresce-ao-cortar-fundos-para-educacao-sexual-revela-estudo-13931/

quarta-feira, 7 de junho de 2017

FEMINISMO


Pelo Espírito Augusto Cezar. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: Fotos da Vida. Lição nº 04. Página 18.

Pergunta-me você o que seja feminismo, talvez supervalorizando a minha capacidade de resposta.
O assunto, no entanto, me fez lembrar uma história, aliás, repetida por vários cronistas, interessados nas tradições populares.
Dou-lhe esta explicação para que você não me considere plagiário com adjetivos jocosos e zombeteiros.
Conta-se que Jesus, acompanhado por alguns discípulos, seguia, dos arredores de Jerusalém, demandando a cidade de Jericó.
O Mestre alterara o plano da excursão, através de muitas veredas, a fim de visitar necessitados e doentes.
Em dado instante, o grupo não soube acertar com o verdadeiro caminho e apareceu acalorada troca de opiniões.
Nisso, salientou-se, não longe, a figura de um viandante cuja presença pareceu providencial aos companheiros da Boa Nova.
Notando que o desconhecido se abeirava dos circunstantes, Simão Pedro barrou-lhe a frente e interpelou-o:
- "Amigo, acaso poderá a sua bondade informar-nos quanto ao exato caminho para Jericó?"
O desconhecido trancou a face que lhe evidenciava o descontentamento e replicou em seguida:
- "Quem lhe falou que sou guia de vagabundos? Tenho mais que fazer. Não me arrisco a contato com malfeitores e ladrões. Sigam para onde quiserem”...
Dito isso, afastou-se, estugando o passo e Pedro, desapontado, dirigiu-se a Jesus, comentando:
- "Mestre, viu só que insolência? Não é justo suportar desaforos! Decerto que o Céu castigará esse brutamontes, impondo-lhe a punição que faz por merecer”...
O Cristo ouviu, apreensivo, e ponderou:
- "Pedro, não julgue ninguém sem o conhecimento preciso... Quem será esse homem? Talvez seja um doente ou um desesperado"...
A expectativa reapossava-se dos apóstolos, quando surgiu, à frente deles, bela jovem carregando um cântaro de água na cabeça.
Simão Pedro adiantou-se, interpelou-a repetindo a petição que fizera ao viandante agressivo e exasperado.
- "O melhor caminho para Jericó?" – indagou a moça sorrindo.
De imediato, depôs no chão o vaso que trazia e passou a explicar com gentileza de que modo atingiriam a cidade sem obstáculos maiores. Além disso, encorajou os apóstolos à caminhada, com expressões de encantador otimismo.
Terminado o diálogo, ei-la retomando o vaso transbordante de água límpida, seguindo estrada afora...
Simão Pedro aconchegou-se a Jesus e lhe falou com intimidade.
- "Mestre, notou a diferença? O bruto que nos desconsiderou e essa menina generosa se parecem a um animal e a uma flor"...
Ante o Senhor, que se fizera pensativo, Pedro insistiu:
- "Senhor, qual será a recompensa que o Céu concederá a essa jovem que nos prestou um serviço tão grande?"
Jesus sorriu e falou ao apóstolo em voz alta:
- "Sim, Pedro, essa jovem será recompensada; e o prêmio dela será casar-se com o homem brutalizado que passou por aqui, a fim de que consiga educá-lo para Deus e para a vida."
Surpresa geral encerrou o assunto.

É isso aí, meu caro. Se a mulher nos abandonar à própria sorte, negando-se a cumprir a missão que o Céu lhe atribuiu, com certeza, nós todos, os homens vinculados ainda à Terra, estaremos perdidos...